Para você

REFLUXO ● Entenda agora!

Queimação no peito, regurgitação, dor torácica, azia, gosto amargo na boca ou até mesmo tosse crônica: sintomas clássicos e que geram um desconforto enorme em mais da metade dos brasileiros. Conheça mais sobre o refluxo, como e porque acontece, seus sintomas, riscos e cuidados!

Em 2018 foi divulgado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) um mapeamento sobre o impacto do refluxo gastroesofágico na população brasileira. O resultado foi um quadro alarmante: 51% afirmam sofrer com o refluxo semanalmente, além de outros sintomas como a azia e a pirose (queimação) que também podem ser indícios do problema.

Mas como?

O problema se dá quando um anel muscular, situado onde o esôfago e o estômago se encontram e que funciona como uma válvula, não está trabalhando direito. A consequência é a volta do suco gástrico do estômago para o esôfago e/ou vias aéreas superiores.

De forma geral e para boa parte dos afetados, os sintomas principais são:
Azia: sensação de queimação que se inicia na boca do estômago e sobe até a garganta.
Regurgitação: sensação da volta de um líquido de gosto amargo proveniente do estômago.
Estes incômodos são comuns mas quando muito frequentes, podem ser indício de um quadro mais grave conhecido como Doença do Refluxo Gastroesofágico, que pode ter uma série de complicações e pode interferir, inclusive, nas suas atividades diárias.

     | Alimentação |
Muitos acreditam que a alimentação não balanceada pode ser o ponto de partida do refluxo, mas nem sempre.
A Doença do Refluxo independe de uma alimentação errada mas assim como outras doenças, hábitos alimentares incorretos podem agravar os sintomas e ainda, causar azia em pessoas que não possuem a doença propriamente dita.
Isso significa que uma alimentação desequilibrada não é a causa, mas pode agravar e trazer outras complicações pelo consumo de alimentos gordurosos, excesso de café, chocolate, bebidas gaseificadas, bebidas alcoólicas, alimentos muito condimentados e apimentados, cítricos e molho de tomate.
A obesidade porém, é um fator de risco que deve ser observado e acompanhado com por um especialista.

     | Riscos |
É comum que pessoas com o incômodo se acomodem e não tratem os sintomas, o que gera um alerta: se não tratado adequadamente, o que antes era um refluxo comum pode trazer úlceras esofágicas e estreitamento do esôfago. Em alguns casos, pode levar também ao aparecimento do Esôfago de Barret (causado por uma agressão do esôfago devido ao refluxo), que aumenta o risco de câncer de esôfago.

     | Cuidados |
O tratamento do refluxo normalmente é clínico, com medicações, dietas e alterações nos hábitos de vida. Alguns casos podem receber orientações para o tratamento através de uma cirurgia de contenção do refluxo mas, alguns hábitos podem ser adaptados para um cotidiano equilibrado com o incômodo, são eles:
Esperar ao menos duas horas de intervalo entre a última refeição e o momento de descanso;
Como a obesidade é um fator de risco, tente readequar sua alimentação e criar uma rotina de exercícios para perder os quilinhos a mais. Aqui no blog você encontra um conteúdo repleto de dicas de como dar os primeiros passos a uma vida saudável;
Evite roupas apertadas, elas podem comprimir o seu estômago e facilitar o refluxo;
Levante a cabeceira da cama com um calço de 15-20 cm ou caso não seja possível, opte por um travesseiro mais alto;
O cigarro é um fator que contribui para o agravamento do refluxo. Tente se distanciar deste hábito ou diminuir o número de cigarros ao dia, o fumo facilita o aparecimento da azia e outros sintomas da doença;
Evite alimentos que prejudicam a digestão e facilitam o refluxo como o café, chá-preto, chocolate, bebidas alcoólicas, refrigerantes, massas (pão, macarrão), alimentos gordurosos, condimentos, alimentos ácidos (frutas cítricas, molho de tomate).

É visível a importância dos hábitos saudáveis e alimentação balanceada para a prevenção de diversas doenças, para manter a saúde e bem-estar em dia. Aqui no blog você entra conteúdos que lhe auxiliarão com dicas, mitos e verdades, curiosidades e muito mais para um estilo de vida que lhe beneficiará plenamente.

Por fim, sempre procure uma orientação adequada e alguns bons hábitos podem contribuir para uma vida equilibrada com a azia e demais desconfortos:
● Alimente-se de 3 em 3 horas;
● Evite líquidos durante as refeições. Você pode e deve ingerir líquidos várias vezes durante o dia, mas em pequena quantidade entre as refeições;
● À noite, faça refeições leves e de preferências sólidas.

O refluxo requer atenção e não deve ser rotulado como outro incômodo comum.

 

Achouu, nosso negócio é ajudar você a cuidar da sua saúde.

Deixe seu comentário

*Analisaremos seu comentário antes de exibí-lo no site.

Veja também