Para você

CÓLICAS ● 9 maneiras de diminuir as dores

Todo mês aquela mesma batalha: TPM, alterações corporais, mudanças na alimentação e claro, a temida cólica. O problema é supercomum e em alguma etapa de vida, toda mulher já a experienciou, seja de forma aguda ou leve. Que tal entender com o Achouu como combater as cólicas? Veja agora 9 maneiras de diminuir as dores!

Uma dor que vem, que passa, vem de novo, se instala por alguns minutos e se afasta por vários... A cólica é uma realidade na vida de até 75% das mulheres em idade fértil. As dores, mesmo que inconstantes em intensidade, continuam por horas ou dias e podem ser extremamente desconfortáveis, irradiando para as costas e pernas.

A intensidade varia para cada mulher e seu período menstrual, em alguns casos é suportável e não requer grandes cuidados ou tipos de controle mas, para outras, ela atrapalha na rotina e se torna um impeditivo para diversas atividades.
Quando algo não vai bem, encontrar um equilíbrio para produtividade é um grande desafio e por isso a importância de entender um pouco mais desse processo, bem como formas de estar no controle. É aqui que o Achouu te ajuda!

     | Entendendo |
Cientificamente chamada de dismenorreia, a cólica menstrual tem início com os ciclos menstruais ovulatórios, por volta de dois anos após a primeira menstruação. As dores são provindas de um fenômeno que acontece durante o período fértil (fase do mês em que a mulher ovula, dura certa de seis dias), onde há a liberação de prostaglandina, substância que promove a contração do útero para a eliminação do sangue menstrual. É daqui que o desconforto vem, se manifestando na região pélvica ou no baixo-ventre.

Tipos
Sim! Há dois tipos de causa para as cólicas, sendo uma delas o processo natural já mencionado e outra que envolve doenças e variações anatômicas.

A cólica primária, também conhecida como causa química, se dá justamente pelas prostaglandinas, sinais químicos que estimulam a musculatura do útero para eliminar o fluxo.
Há 3 tipos de prostaglandinas, os tipos 1 e 3 funcionam como analgésicos naturais, que aliviam a dor e o tipo 2, a vilã da história. Quanto mais prostaglandina do tipo 2 é produzida, maior a dor, podendo atingir também o intestino, causando dor de barriga e/ou diarreia que afeta muitas mulheres durante a menstruação.

Já a cólica secundária, a causa funcional, envolve a presença de endometriose, infecções, fibroides, cistos ovarianos, DIU e até mesmo a passagem cervical muito estreita ou útero retrovertido. Nestes dois últimos casos citados, o que acontece são variações e não uma doença pontual: as condições implicam uma possível dificuldade do fluxo de ser eliminado, fazendo com que o útero produza mais prostaglandina do tipo 2, aumentando as contrações e as cólicas.
Quando existem condições mais complexas, como doenças pélvicas, a dor pode ser intensa, muitas vezes incapacitante e não se restringe a uma parte do período menstrual, podendo persistir ao ciclo completo. Aqui cabe um adendo: não se pode naturalizar esse tipo de dor como parte da menstruação.

Havendo a presença de qualquer doença, é imprescindível o diagnóstico e auxílio profissional, para buscar o tratamento ou conduta para uma melhor qualidade de vida.

     | Enfrentando |
Chegou a hora de bater de frente com as dores!

1 ● Chás
Eles são seus aliados nessa luta! Bebidas quentes normalmente passam uma sensação de conforto que pode auxiliar em uma melhora no bem-estar. Para as cólicas, escolha os chás naturais e com propriedades tranquilizantes, como o de camomila.
Nada de bebidas estimulantes como café e as açucaradas!

2 ● Pressão no ventre
É hora de usar suas habilidades em massagem! Usando a ponta dos dedos, massageie o ventre e a parte inferior das costas. Se puder ficar deitada e colocar um travesseiro, almofada ou cobertor enrolado contra o corpo, de bruços, melhor ainda!
Tente buscar posições mais confortáveis e aqui cabe a dica: a yoga tem várias posições indicadas para as cólicas menstruais.

3 ● Bolsa de água quente
A boa e velha bolsa de água quente, já conhecida por muitas mulheres, ajuda o controle da dor! Posicione-a na região do ventre em uma posição confortável, podendo inclusive amarrá-la na cintura com uma toalha ou lenço. Caso você não tenha uma bolsa de água disponível no momento, também é possível utilizar uma toalha aquecida a seco (no micro-ondas, por exemplo). A busca aqui é por uma fonte de calor!
Se a sua dor irradia para a coluna lombar, o truque é utilizar uma fonte de calor no ventre e nas costas.

4 ● Descanso
Se tiver disponível um tempinho para retomar as energias e relaxar, não pense duas vezes. É muito comum que no início da menstruação, devido à queda hormonal, a mulher se sinta mais fatigada e introvertida então todo tempo de descanso é muito importante. Tenha um tempo para você mesma!

5 ● Absorvente
Entre os diversos tipos de absorventes, tenha em mente que absorventes internos e coletores podem causar uma leve pressão e aumentar o desconforto das cólicas. Para mulheres mais sensíveis a essas questões, uma boa forma de contornar o desconforto são os protetores menstruais externos e ainda, calcinhas absorventes. Preze pelo seu conforto!

6 ● Anti-inflamatórios
Quando você já sabe que uma cólica se aproxima, os anti-inflamatórios podem ser uma boa forma de aliviar a dor. São normalmente (e preferencialmente) prescritos por médicos e usados em doses baixas, antes da cólica chegar. Tenha atenção ao procurar uma salvação neles pois não devem ser uma solução a longo prazo. Além de sobrecarregar o fígado, podem piorar possíveis desequilíbrios hormonais, que também são responsáveis por cólicas mais fortes. Fique atenta com o uso e frequência!

7 ● Exercícios físicos
Essa você já ouve em todo lugar né? Mas aqui, os exercícios físicos liberam endorfinas, que também funcionam como analgésicos naturais. Isso significa que se exercitar com regularidade também ajuda no equilíbrio hormonal e fortalecimento dos nossos músculos. É comum que com a prática seja experimentado cólicas mais leves durante a menstruação além de claro, diversos outros benefícios para a saúde. Aqui no blog você confere muitos conteúdos relacionados a uma vida mais saudável com hábitos que somam para seu bem-estar como um todo!

8 ● Estresse
Diminuir o ritmo: essa é uma dica primordial quando as coisas não parecem fazer sentido. O estresse contínuo e persistente é maléfico tanto para nossa saúde física como mental e, entender suas causas e possíveis desequilíbrios internos, uma atitude essencial para se conectar consigo mesma. A alta liberação de cortisol durante períodos de estresse afeta o equilíbrio hormonal e consequentemente, quem responde são as cólicas que acabam em não ajudar no contexto geral.
Dentro do possível, evite situações estressantes de forma rotineira, passe a não se cobrar tanto e defina um tempo para você mesma. Sempre que possível, busque auxílio terapêutico não apenas para lidar com as cólicas, mas com todo cotidiano e suas cobranças. Você é sua maior companheira e por isso, cuide-se!

9 ● Alimentação
Calma lá, a gente não vai sugerir uma mudança radical na sua alimentação! Aqui basta inserir mais sementes e folhas verde-escuras na alimentação.
Vários alimentos possuem boas doses de vitaminas e minerais que, por sua vez, ajudam a diminuir a produção de prostaglandina tipo 2 e reduzem a inflamação. Amêndoas, castanhas, espinafre, couve, agrião, linhaça, sementes de abóbora, sementes de girassol, chia, gergelim, melão e sardinhas, além da cúrcuma e açafrão são bons exemplos, com várias propriedades anti-inflamatórias. Que tal adicionar algumas dessas opções na sua alimentação e ainda, com novos temperos?
Aqui também cabe um adendo: diminua ou evite o consumo de leites, derivados e frituras, principalmente nas semanas anteriores à menstruação para diminuir a inflamação.

Lembre-se que assim como todos os ciclos, eles chegam ao seu fim e as dores, também! Tome pequenos passos e priorize a sua saúde como um todo.
Compartilhe esse conteúdo com alguém que também enfrenta a batalha com as dores menstruais e sempre conte com o Achouu para compras em farmácia.

 

Achouu, nosso negócio é ajudar você a cuidar da sua saúde.

Deixe seu comentário

*Analisaremos seu comentário antes de exibí-lo no site.

Veja também